Vale a pena contratar um plano de saúde?

Vale a pena contratar um plano de saúde?

Milhares de pessoas têm entre suas despesas mensais o pagamento do plano de saúde. É comum que, neste caso, você ache que o valor que paga para a prestadora do serviço algo desnecessário, por não precisar ir ao médico ou não ter tido nenhum problema recente de saúde. É comum nessa hora se perguntar se realmente vale a pena fazer este investimento.

É importante ter cuidado com a sua saúde, para assim ter uma qualidade de vida ao longo dos anos, e com uma importante assistência médica. Se você está em dúvidas sobre ser necessário ter um plano de saúde ou não, este texto vai te ajudar a refletir melhor a respeito.

Ter um plano de saúde é fundamental

São muitos os motivos para que uma pessoa tenha um bom plano de saúde. Vale lembrar que os procedimentos médicos que necessitem ser pagos são de preços bem elevados. E isso pode prejudicar de vez as suas finanças se houver uma emergência.

Além disso, depender única e exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) não é uma tarefa fácil. É possível que uma consulta simples demore meses para acontecer, assim também como a falta de médicos ou equipamentos pode fazer com que demore ainda mais tempo para acontecer.

Opte sempre por um plano de saúde que atenda às suas necessidades

Não é uma boa escolha abrir mão do seu plano de saúde. O melhor a se fazer é ver qual destes planos tem o melhor custo-benefício. Existem várias modalidades para se garantir um plano de saúde, e que possuem diversas vantagens, bem como obrigações específicas para cada tipo de plano.

O plano pode ser de Referência, que costuma ser o mais completo. Ele é mais caro que os demais. Entre as vantagens, garante a cobertura de consultas, tratamentos e exames, além de outros procedimentos como transplantes e cirurgias.

Outra modalidade é o plano de saúde Ambulatorial. É uma categoria básica, que visa assegurar coberturas a consultas e procedimentos realizados em ambulatórios, bem como internação, cirurgia, tratamentos dos mais variados tipos.

Existe o plano Hospitalar, que permite oferecer internação em hospitais em quarto comum ou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sem que haja um prazo limite. É feita também a cobertura de enfermeiros e médicos. E na categoria hospitalar, tem o plano Hospitalar com Obstetrícia, que faz a cobertura dos exames pré-natal para grávidas, e ainda permitem a realização do parto e de permitir assistência ao bebê recém nascido.

Ou seja, se você é uma pessoa saudável e não realiza nenhum tratamento para problemas crônicos, pode fazer um plano de saúde mais simples, principalmente se o seu convênio for apenas para consultas e exames rotineiros. Os custos costumam ser mais acessíveis, havendo pagamentos de baixo valor, quando não tem a necessidade de fazer alguma consulta. É melhor para economizar, mesmo que não seja muito.

Agora, se você realiza um tratamento médico mais especializado, é muito importante que você tenha um bom plano. Isso porque os exames são muito caros, e pagar por um plano de saúde particular ou então por participações não é algo que dá vantagens.

Média de valores a serem pagos para quem tem plano de saúde

Para uma consulta simples, em que você não sabe bem o que pode ter, mas quer dar uma conferida com um médico a respeito da sua saúde, em clinicas particulares, o valor médio é de 150 reais. Agora, para pessoas que têm plano, este valor a ser pago gira em torno dos 10 reais.

Se for necessário ir até um especialista, os valores variam, mas podem ser mais caros, entre 200 ou 300 reais – ou até mais, dependendo do médico. Agora, para quem tem plano, pagando também cerca de 10 reais, é possível se consultar tranquilamente.

Em atendimentos de urgência, em pronto socorro, ele custa 200 reais. Se for necessária a realização de radiografia, o valor é de 50 reais em clínicas particulares para não participantes dos planos. Mesmo em planos simples, o valor nestes casos é de aproximadamente 20 reais.

Exames de rotina, feitos para analisar se a saúde de uma pessoa está plena, podem custar mais de 400 reais, principalmente por conta da consulta médica. Mas para o caso de quem tem plano de saúde, além da mensalidade, o paciente paga em torno de 90 reais.

Agora, se o plano de saúde for completo, a consulta já está inserida na mensalidade em qualquer um destes casos citados acima.

Em que momento é melhor ter um plano de saúde?

O mais recomendável é que, pelo menos as crianças e os idosos, tenham um plano de saúde. Estes planos costumam ser mais caros, principalmente por estes serem mais solicitados.

Vale ressaltar que, na infância e na velhice, é comum que as doenças apareçam com maior frequência. Nestes casos, é importante refletir ainda mais sobre a necessidade de ter um convênio médico, até porque, pessoas adultas têm menos uso deles, e é exatamente por isso que as mensalidades são menores.

Para mulheres grávidas, e que querem ter uma gestação tranquila, o plano de saúde pode ser recomendado. Vale ressaltar que o atendimento pelo SUS às gestantes também é confiável, porém, pode ser menos atencioso que o tratamento particular.

Informações importantes para contratar um plano

É importante que seja notificado o período de carência para cada tipo de serviço realizado. Você precisa também prestar atenção sobre o momento em que são feitos os reajustes anuais, bem como os reajustes feitos por causa da idade.

Você precisa também perceber de que forma o plano te cobre, analisando precisamente sobre o perfil do contrato, entre outras coisas, para que não tenha nenhum tipo de imprevisto.

Afinal, vale mesmo a pena ter um plano de saúde?

A resposta é: sim, vale a pena. Você terá mais conforto na hora de ter um atendimento médico, e um acompanhamento de qualidade quando houver necessidade, além de não ter nenhum imprevisto na hora que houver um problema mais urgente. Verifique empresas de planos de saúde e encontre o que seja melhor para a sua vida.



VOLTAR